Savage Worlds IN Review #8: Hellfrost (Parte 1)

Artigo original escrito por Kristian (parte 1 / parte 2) Se você é um fã de longa data do Savage Worlds, ou está começando a aprender o sistema, e está a procura de um cenário de fantasia épica, você pode querer dar uma olhada no cenário dá Triple Ace Games: Hellfrost. Neste primeiro artigo vamos tratar de dois assuntos: uma visão geral do cenário e o Guia do Jogador. Vamos falar mais sobre este cenário, como o Bestiary e o Gazeteer, em artigos futuros.

Hellfrost: Guia do Jogador

Para um rápido resumo do que o cenário é, recomendamos a leitura da descrição de Hellfrost na página do cenário no site da Triple Ace Games. Em geral, Hellfrost é um cenário de fantasia rico, inspirado nos vikings, com tons escuros e sombrios. A terra de Rassilon é atormentada por um inverno sem fim que continua a avançar vindo do norte, além disso, as forças do mal ameaçam os povos da Rassilon. A invasão fria foi piorando ao longo do tempo, com os climas normalmente quentes transformando-se em climas temperados e os climas que antes eram temperados tornando-se tundras congeladas. As criaturas que habitam as regiões do norte congeladas começaram a descer para o sul.
  • Primeiras Impressões
  • A primeira vez que ouvi falar deste cenário foi através do episódio do Hellfrost no podcast do The Game's the Thing. Nele, a própria Triple Ace Games oferece uma introspecção na concepção e desenvolvimento de Hellfrost e o que o torna um cenário único. Depois de ouvir o podcast, fiquei intrigado. Meses depois, um amigo da TDoL (The Dice of Life) estava mestrando uma campanha de Hellfrost  usando o MapTool. Eu me precipitei e comprei um exemplar do Guia do Jogador do Hellfrost. A cada momento em que lia mais sobre o cenário, imediatamente comecei a sentir por ele a mesma sensação que tive com Greyhawk. Hellfrost apresenta uma  definição de corajoso e culturas únicas, incluindo várias culturas humanas. Quando li pela primeira vez a preview e, posteriormente, o Guia do Jogador, eu senti a mesma sensação de maravilhado de quando comecei a explorar o mundo de Greyhawk como um cenário. Rassilon parecia com uma vasta região de cultura, magia e aventura à espera de ser colhida, muito parecido com Greyhawk. Como um cenário, ele também carrega a mesma sensação de Greyhawk, o que significa um sabor de fantasia convencional, em vez de um cenário de fantasia com uma “torção” estranha, como Dark Sun, Eberron, ou mesmo Sundered Skies. Se você está procurando um cenário com aquele sabor de fantasia old-school, então Hellfrost é ele.
  • Apresentação e suporte ao produto
  • A abordagem utilizada pela Triple Ace Games para apresentar Hellfrost como um produto é um pouco diferente do método convencional utilizado para os cenários de Savage Worlds. Ao invés de publicar uma versão completa do cenário com informações para o mestre e um guia separado para o jogador, a Triple Ace Games decidiu publicar três livros em vez disso: o Guia do Jogador, o Bestiary (Livro dos Monstros) e o Gazetteer (Dicionário Geográfico). Originalmente, estes três livros estavam previstos para serem publicado um após o outro durante a primavera e o verão do ano passado, mas os atrasos de publicação empurraram o Bestiary e o Gazetteer para Dezembro. Para alguns entusiastas iniciais, esse atraso foi um tanto frustrante, uma vez que o Guia do Jogador faz referências ao Bestiary. Além disso, alguns mestres estavam hesitantes em mergulhar totalmente no cenário sem o Bestiary e o Gazetteer para dar-lhes as estatísticas da fauna exótica de Hellfrost e de seus locais específicos. Os três livros, entretanto, foram concebidos para serem independente entre si e a Triple Ace Games fornece suporte através de aventuras em pdf (venda) e donwloads gratuitos para preencher as lacunas para os Mestres que querem algo para lhes dar o gosto das aventuras em Hellfrost. O Guia do Jogador é o que você precisa para jogar. Enquanto ele faz referências ao Bestiary, estas referências não prejudicam a diversão e a utilidade do Guia do Jogador. Toda a mecânica única do cenário está incluída neste livro, bem como um panteão completo, um cronograma da história do mundo  e descrições da vida cotidiana em Rassilon, o continente em que as aventuram ocorrem. O Bestiary destina-se principalmente para apoiar o cenário, mas pode ser utilizado por mestres que estejam procurando por monstros para utilizar em outros cenários. O Gazeteer tem uma abordagem semelhante à do 3e D&D Gazeteer e Living Greyhawk Gazetteer, com imagens e descrições das nações e localidades em toda Rassilon e quase nenhuma mecânica do jogo dentro dela. Wiggy declarou nos fóruns de Hellfrost que o Gazetteer pode ser usado com qualquer role-playing game. Um mestre poderia simplesmente pegar Rassilon e soltar o continente em seu próprio cenário.
  • Prós e Contras
  • Hellfrost como uma linha de produtos é um investimento bastante sólido e seguro. Inicialmente, o custo pode parecer um pouco alto com o Guia do Jogador custando U$29,99 e o Bestiary e Gazetteer custando U$34,99 cada. Um jogador terá de comprar um exemplar do Guia do Jogador, o que é bastante caro se comparado aos guias normais, mas o PDF de U$19,99 pode ser uma opção mais acessível. O mestre pode ser levado a comprar todos os três livros, mas definitivamente não é necessário, como ilustrado acima. Por último, um mestre que os adquiri ganha o benefício de ter uma infinidade de adversários e de locais para criar suas próprias aventuras. Se o mestre preferir permanecer apenas com o Guia do Jogador, há várias aventuras de Hellfrost em PDF para torturar... uh, entreter seus jogadores.
Os temas acima serviram para apresentar uma visão geral da linha de Hellfrost da Triple Ace Games. Agora, pretendo cobrir o Guia do Jogador, o qual havia adquirido para utilizar em uma campanha on-line. O Guia do Jogador é, realmente, a carne do cenário, pois ela contém as regras fundamentais, as opções de personagem, religião e outras informações cruciais, necessárias para uma aventura de Savage Worlds no cenário de Hellfrost. Abaixo os destaques do que o livro traz para o seu jogo de fantasia em Savage Worlds, bem como os pontos fortes (e alguns pontos fracos) deste impressionante produto.
  • Um título enganador
  • Para começar, o título de "Guia do Jogador" é, realmente, uma má interpretação da finalidade deste livro. Na convenção normal do Savage Worlds, o guia de um jogador é geralmente uma versão do livro do cenário com todos os segredos do mestre retirados e, normalmente, é um pouco mais barato do que o livro principal (Slipstream e Necessary Evil são dois exemplos). O Guia do Jogador de Hellfrost é, na verdade, um livro completo que inclui todas as informações necessárias para mestres e jogadores que querem usar o cenário. Se você estiver familiarizado com o D&D v3.5 Eberron Campaign Setting, que é muito semelhante, a capa possui inclusive a combinação brilhante que o Eberron tem (quem não aprecia uma bela capa de um produto de RPG?) .
  • Introdução ao Mundo
  • O livro apresenta uma divisão entre a história e a atualidade do mundo em um sentido mais amplo. Se você estiver procurando por informações detalhadas sobre uma região específica ou organização, você terá de usar o Gazetteer, infelizmente. Isso é onde a dependência em relação aos outros livros começa. Você ganha um pouco mais de informações sobre a história do que é apresentado no preview em PDF, especificamente a Guerra da Nevasca (Blizzard War) que ocorreu quinhentos anos antes do início da campanha. O livro também apresenta um breve resumo das raças e culturas, bem como a forma em que magia e a religião são aplicadas no cenário. As regras vêm depois.
  • Mapa
  • Falando do mundo, fiquei um pouco desapontado com o fato de que o Guia do Jogador não inclui um mapa. Felizmente, a Triple Ace Games fornece um mapa em PDF na página do cenário. Isso realmente não é um ponto fraco para mim, já que sou um grande defensor de recursos on-line, mas alguém não ligado tanto à comunidade on-line pode não saber onde encontrar o mapa, o livro não faz nenhuma referência a ele. Continente de Rassilon O mapa em PDF possui um tamanho relativamente pequeno (11"x17") para um continente tão detalhado. Na verdade, M. S. Jackson e eu concordamos que o mapa é complicado de ler. Fui capaz de imprimir e laminar o mapa por menos de U$5 no Office Depot, mas pelo menos apreciaria a opção de um mapa disponível com uma resolução mais alta para consulta no meu computador.
    Update by G. Moraes: O mapa em tela, disponível para compra, tem um tamanho de 17”x30”.
    Curiosamente, M. S. Jackson redesenhou o quarto inferior esquerdo do mapa em uma resolução maior e fortemente inspirada pelo mapa de Forgotten Realms feito por Rob Lazaretti. Os outros membros do fórum estão implorando-lhe para terminar o mapa, mas seu tempo livre é extremamente limitado.
  • Raças
  • Esta foi uma das partes que ressoava com o meu amor por Greyhawk. As raças incluem quatro culturas de seres humanos (Greyhawk tem cinco), o Engro (parecidos com halflings), o anão do gelo, o frostborn, e duas raças de elfo, forja e taiga. A coisa mais importante faltando nesta seção é a falta de ilustrações para acompanharem as descrições das raças e suas culturas. Engros: Engros são semelhantes aos halflings nômades da 3e D&D que não eram confiáveis e vistos como ladrões e arruaceiros. Há um pouco de tradição dos tartans escocês, já que cada clã tem seu próprio padrão associada a ele. Esses padrões não são definidos, o que permite que os jogadores e os mestres que se importam o suficiente de criarem qualquer desenho personalizado que gostem. Anões do Gelo: o anão do gelo é o único tipo de anão em Rassilon, então, não sei por que eles seriam culturalmente ou socialmente referidos como algo diferente de outros anões neste cenário. De qualquer maneira, eles são uma raça de clã que habita as montanhas bem ao norte acima da linha da neve. Recentemente, no entanto, eles estão migrando para o sul à medida que o frio se expande a partir do norte. Anões do Gelo são mestres em usar o Coldfire (fogo frio), um tipo de novo poder apresentado em Hellfrost, que é descrita como um fogo que gera intenso frio em vez de calor. Anões do Gelo também estão familiarizados com a magia de Runa e compreendem como usar esse poder. Frostborn: Frostborn é, essencialmente, uma raça anômala. Eles não são uma raça que evoluiu ou são específicos de qualquer raça em particular. Eles são realmente um subproduto de alguma aflição desconhecida e mágica, que afeta todas as raças. Essencialmente, é como uma espécie de modelo para as outras raças, que concede uma forma inata de mágia fria (hrimwisardry), mantendo os traços físicos da raça base. Um Engro frostborn, por exemplo, teria ainda a característica de pequeno porte. Não está claro se algumas características da raça base são físicas ou culturais e onde o último se aplica. Voltando ao exemplo do Engro, deve um Engro frostborn também ter a característica furtiva? Não é uma característica física, mas porque um engro frostborn não poderia ainda operar à margem da lei como descrito nas vantagens e complicações raciais de um Engro?
    Observação by G. Moraes: Isso me lembra um pouco do efeito do Void de Sundered Skies...
    Há um preço para se jogar com um frostborn: a magia fria é temida pelos plebeus que acreditam que hrimwisardry é praticado apenas por aqueles que pretendem explorar este inverno invasor que cobre o continente. Elfos da Forja e da Taiga: Os elfos da taiga e da forja são realmente da mesma linha hereditária, especialmente a dos elfos da forja. Houve algum momento no passado, quando alguns elfos argumentaram que todas as florestas deveriam ser casas para os elfos, incluindo aqueles de perto das regiões congeladas. Houve uma separação amigável e, portanto, os elfos da taiga surgiram (em essência, elfos da taiga são elfos do gelo). Outra situação familiar se comparado a outros cenários de fantasia é que ainda existe um pouco de rivalidade e política entre os elfos e os anões e entre os elfos e os seres humanos também. Como os elfos tiveram de se deslocar para o sul nas terras humanas, os humanos têm considerado a perda de seus recursos restantes como uma ameaça grave, criando uma tensão entre as duas raças. Humanos: Falando de seres humanos, é onde penso que as raças se tornaram realmente interessante. Há quatro culturas, cada uma muito diferente das outras. Os Anari são humanos mais urbanos que moram em vilas e cidades. Os Finnar são um povo nômade que vive nos climas mais frios e possuem um bom relacionamento com os elfos da taiga. Os Saxa estão unidos em clãs e vivem em fazendas e povoados, tendo algumas cidades na parte dos territórios reais, e tem uma cultura baseada em juramentos de lealdade e princípios de hospitalidade (lembra a terra do Rei Hrothgar no “13º Guerreio” ou Edoras em “O Senhor dos Anéis”). Finalmente, há os Tuomi, uma cultura em encolhimento de guerreiros orgulhosos que usam o derramamento de sangue para resolução de litígios em vez de diplomacia.
  • Glória
  • Esta é uma característica nova que é introduzida na seção de criação de personagem do livro, mas desenvolvido em seu próprio capítulo.  Glória é um sistema pelo qual você adquire fama, seguidores ou a imortalidade através da música. Quando você chega a um múltiplo de 20 pontos de Glória, você pode gastá-lo em um dos benefícios listados no capítulo. Estes benefícios realmente acrescentam muito a história de seu personagem no que diz respeito à diversão do jogo e do desenvolvimento da história da campanha e do cenário. Ele dá uma profundidade adicional para o seu personagem ao mesmo tempo em amplia o conhecimento do mundo à medida que você e seus amigos continuam a desenvolver a campanha.
  • Magia
  • A magia é tratada um pouco diferente em Hellfrost e acho que é um sistema que eu realmente adotaria também em outros cenários. Em suma, não há pontos de poder para controlar... NUNCA! Em vez disso, os efeitos convencionais de repercussão (backlash) dos Antecedentes Arcanos magicos foram substituídos por um efeito conhecido como "o Desvio" (the Siphoning), que tem o potencial para efeitos permanentes, tais como perder um dado em sua habilidade arcana ou mesmo a perda permanente de sua vantagem de Antecedente Arcano. Efeitos menores são mais comuns, tais como não ser capaz de usar magia por um período de tempo que varia de rodadas a horas ou dias, com durações diferentes de fadiga.
    Observação by G. Moraes: Este sistema é semelhante ao do cenário The Savage World of Solomon Kane.
    A vantagem disso é que você pode lançar ou aumentar a sua magia tanto quanto desejar. Você também pode sustentar indefinidamente, até que você a desfaça ou não consiga mais se concentrar nela. Se você sentir vontade de assumir alguns riscos, você poderá manter a evocação e lançar feitiços sustentáveis até que você obtenha um ás, mas você corre o risco de sofrer o Desvio. Outro ponto interessante é o efeito de enfraquecimento da magia de fogo em Hellfrost. Este efeito causa impacto tanto nas magias quanto nos milagres. O clima em que o personagem está aplica redutores que variam de -1 a -6 dependendo da temperatura do ambiente. A única coisa estranha no capítulo de magia é a menção de efeitos das marés lunares. É uma linha de referência que não parece estar ligado a nada. Depois de pesquisar nos fóruns da Triple Ace Games, encontrei este tópico de discussão em que Wiggy explica que as regras foram cortadas para dar simplicidade.
  • Magia Limitada
  • A Magia Limitada (Hedge Magic) é uma boa adição para o cenário de fantasia em Savage Worlds. Esta magia não é realmente mágica e não requer um Antecedente Arcano. Em vez disso, é um aspecto profissional que permite que qualquer pessoa utilize raízes, folhas e ervas para fins especiais. O Guia do Jogador fornece uma lista de efeitos de remédio homeopático, por exemplo, mas não é de nenhuma maneira exaustiva. Na verdade, Triple Ace games fornece um download gratuito de remédios produzidos pela Magia Limitada. Enquanto esta magia pode parecer simples, pode levar número de horas para ser realizada (dependendo do bônus desejado) e os materiais também podem ser difíceis de obter (também dependendo do bônus desejado).
  • Novas opções de Antecedentes Arcanos (Magia)
  • O Hellfrost incorpora um punhado de novos Antecedentes Arcanos para magia. Aqueles que estão familiarizados com o Fantasy Worldbuilder Toolkit podem reconhecer um ou dois deles como evoluções ou versões afinadas. A lista inclui hrimwisards (magos do gelo), skalds (bardos protetores do conhecimento que dominam a magia das músicas), heahwisards (magos nascido na Magocracia e que utilizam pautas), magos das runas (anões do gelo que invocam a magia da runa gravadas em objetos, incluindo sua própria pele), druidas (Engro, elfos e anões do gelo que extraem seus poderes a partir da energia natural das plantas, animais e terra) e Elementalistas (aqueles que retiram seus poderes dos reinos elementais de fogo, terra, ar ou água).
  • Lista de magias
  • Com os diferentes antecedentes arcanos de magia disponíveis, o Guia do Jogador é generosos o suficiente em fornecer listas de magia para cada forma de magia arcana, incluindo sublistas para cada elemento para uso dos elementalistas. Estas listas incluem magias do livro básico, bem como as novas magias disponíveis em Hellfrost. As vinte e quatro divindades apresentadas no capítulo religião também incluem suas próprias listas de magia, tornando mais fácil para os personagens invocar milagres e ver o que está à sua disposição.
  • Religião
  • Como mencionado acima, Hellfrost tem um panteão composto por vinte e quatro divindades que abrangem todos os aspectos das várias culturas espalhadas por Rassilon. Este capítulo inclui as mecânicas de jogo como o arauto da divindade (usada pelo poder convocar arauto; as estatísticas dos arautos são apresentadas no Bestiary), os direitos e pecados, o poder de assinatura (um poder livre utilizável por um clérigo da divindade, independentemente de seus requerimentos), uma lista de poderes de um seguidor da divindade que tem o antecedente arcano (Milagres) e manifestações para os poderes. Existe uma suposta "entrada especial" de estatísticas que cobre notas especiais sobre a criação de personagens, mas eu não vi tal entrada no capítulo. Em geral, eu amo esse panteão e as ricas histórias por trás das divindades e seus papéis no mundo. Para ser claro, as divindades fizeram um pacto para não interferir com o mundo mortal diretamente. No entanto, eles podem influenciar os seus seguidores a se envolverem com os seguidores de outras divindades. Isto é uma coisa que eu aprecio muito, principalmente se compararmos com cenários como Forgotten Realms ou Greyhawk, em que as divindades estão andando no plano mortal. Está também a meio caminho de Eberron, que tem suas divindades ausentes do mundo existente, mas existentes apenas através da fé de seus seguidores, e da abordagem de Greyhawk, dos deuses andando em Oerth.
  • Cosmologia
  • Eu não posso mencionar o plano material sem explicar o resto da cosmologia do mundo. Só há, realmente, três outros reinos cósmicos, mantendo até a cosmologia simples para mestres e jogadores. O Salão de Scaetha: onde os mortos aguardam julgamento. Aqueles que são considerados como tendo vivido de acordo com os princípios de sua divindade patrona "são colocados sob os cuidados dos arautos das divindades" e levados a sua vida após a morte. O Salão dos Gritos Ecoantes: onde aqueles que não seguiram nenhum patrono são enviados, mas serve como um local para que um arauto aposte as almas não reclamadas. A maioria das almas acaba tornando-se soldados demoníacos. O Abismo: um lugar de caos e miséria. Seus habitantes são demônios, lordes demônios e almas atormentadas. O único aspecto confuso sobre a cosmologia é a forma como as almas acabam atormentadas no Abismo se suas almas são resgatadas pelos dos fiéis seguidores de suas respectivas divindades e aquelas reclamadas, mas ganhas no Salão dos Gritos Ecoantes são transformadas em soldados. Update: Wiggy esclareceu o cenário do Abismo com uma resposta bastante horripilante. Em muitos casos, alguns lordes demônios e divindades deliberadamente lançam uma alma no abismo. Muitas vezes, estas almas são seguidores que não seguiram as suas funções de acordo com o desejado pela divindade. De acordo com Wiggy, "se você está mal, mas não o bastante mal, nem mesmo os lordes demônios farão o favor de transformá-lo em um soldado demoníaco". Em muitos outros casos, as almas foram ganhas em apostas por lordes demônios que querem manter as almas longes de outras divindades ou lordes demônios e simplesmente os despejam no Abismo de tormento eterno.
  • A vida em Rassilon
  • A vida em Rassilon é um capítulo completo por si só e descreve como é viver neste continente. Os temas variam de casamento e costumes funerários ao comércio e viagens, da linguagem e da educação ao calendário e festivais. Há quadros laterais apresentando as estações do ano, o calendário de fases lunares (uma possível referência aos efeitos lunares removidos no capítulo de magia?), e uma breve cronologia da história do mundo. A única coisa que senti falta é uma espécie de calendário visual. Lendo a descrição do calendário é aceitável até um determinado momento, mas sou um individuo visual, talvez seja uma preferência em vez de um problema real.
  • Conclusão
  • Eu amo o Guia do Jogador de Hellfrost. Ele apresenta um cenário verdadeiramente fantástico para Savage Worlds. É verdade, ele pode parecer que possui algo faltando sem o Bestiary ou o Gazetteer, principalmente para aqueles que desejam saber todos os detalhes do mundo. Globalmente, este livro faz com que seja muito óbvio que Hellfrost, como um cenário, é um trabalho de amor.

The Dice of Life

[]'s

RPG.Blogs

Trackback URL for this post:

http://portal.retropunk.net/?q=trackback/132
No votes yet

Comentários

[...] ao fornecer uma cópia de Hellfrost Bestiary (Livro dos Monstros) para review e como mencionada na primeira parte, o Bestiary é um excelente produto autônomo, bem como uma parte integrante do cenário Hellfrost. [...]

Bem interessante, um cenário original.

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Essa pergunta é apenas para garantir que você é uma pessoa e não um replicante spammer maldito.
Image CAPTCHA
Digite as letras e números contidos na imagem.